Saiba tudo sobre a Menopausa e o climatério. Sintomas, pre menopausa, tratamento, climaterio, menopausa precoce, menopausa e gravidez.

 

Saúde com Inteligência - Saude On Line


   Digite na caixa abaixo o que você procura:

Pesquise no Google

 

 

 
 

 

 
 

SAÚDE COM INTELIGÊNCIA - O SEU GUIA DE SAÚDE ON-LINE
 

HOME DOENÇAS ASSUNTOS ARTIGOS AVISO LEGAL PUBLICIDADE CONTATO

 


MENOPAUSA

 

O que é a Menopausa?

Menopausa é a parada de funcionamento dos ovários. Ou seja, os ovários deixam de produzir os hormônios estrógeno e progesterona. Não é uma doença, é apenas um estágio na vida da mulher. A principal característica da menopausa é a parada das menstruações. No entanto em muitas mulheres a menopausa se anuncia por irregularidades menstruais, menstruações mais escassas, hemorragias, menstruações mais ou menos freqüentes. Não existe idade predeterminada para a menopausa. Geralmente ocorre entre os 45 e os 55 anos, no entanto pode ocorrer a partir dos 40 anos sem que isto seja um problema (porém nesse caso, os médicos comumente chamam de menopausa prematura). Não há relação entre a primeira menstruação e a idade da menopausa nem tão pouco existe relação entre a idade familiar da menopausa e a sua.

 

Ondas de calor?         Irritação?

Menopausa

Dores no corpo?         Insônia?



 

A menopausa é um estágio natural da vida pelo qual todas as mulheres passam quando envelhecem. Embora seja normal, nenhuma mulher diria que os sintomas parecem normais. As ondas de calor, suor noturno, alterações de humor, cansaço e outros sintomas podem fazer da menopausa uma das fases mais difíceis no campo emocional e físico para uma mulher.

O climatério é a fase da vida em que ocorre a transição do período reprodutivo ou fértil para o não reprodutivo, devido à diminuição dos hormônios sexuais produzidos pelos ovários.

A insuficiência ovariana é secundária ao esgotamento dos folículos primordiais que constituem o patrimônio genético de cada mulher. A diminuição dos níveis hormonais é um fato que ocorre com todas as mulheres e se inicia ao redor dos 40 anos. Algumas mulheres podem apresentar um quadro mais acentuado de sinais e sintomas, porém todas chegarão à menopausa.

A menopausa delimita as duas fases do climatério, o climatério pré- menopausa e o pós-menopausa.

Menopausa e a saúde

Menopausa idade

Menopausa mulheres

A diminuição ou a falta dos hormônios sexuais femininos podem afetar vários locais do organismo e determinam sinais e sintomas conhecidos pelo nome de síndrome climatérica ou menopausal.

Sintomas da Menopausa

Algumas mulheres não sentem nada durante o período da menopausa, porém, a maioria poderá sentir alguns sintomas como:

 

  • Ondas de calor;

  • Suores noturnos;

  • Insônia;

  • Menor desejo sexual;

  • Irritabilidade;

  • Dores no corpo;

  • Depressão;

  • Ressecamento vaginal;

  • Dor durante o ato sexual;

  • Diminuição da atenção e memória.

 

 

De acordo com estudos recentes, as ondas de calor ocorrem em mais de 50% das mulheres que entram na menopausa e sua freqüência diminui para 30% das mulheres após 3 anos de menopausa. Apesar disto os sintomas podem persistir em 16 % das mulheres com 67 anos de idade.

Os sintomas da menopausa

Os sintomas normalmente também são relatados como:

Fogachos ou ondas de calor, que causam uma vermelhidão súbita sobre a face e o tronco, acompanhados por uma sensação intensa de calor no corpo e por transpiração. Podem aparecer a qualquer hora e muitas vezes são tão desagradáveis que chegam a interferir nas atividades do dia a dia;

Alterações urogenitais causadas pela falta de estrogênio que levam a atrofia do epitélio vaginal, tornando o tecido frágil a ponto de sangrar. Na vagina, a atrofia causa o estreitamento e encurtamento, perda de elasticidade e diminuição das secreções, ocasionando secura vaginal e desconforto durante a relação sexual (dispareunia). Modificações na flora vaginal facilitam o aparecimento de uma flora inespecífica que predispõe a vaginites. Outros efeitos indesejáveis ocorrem no nível da uretra e da bexiga, causando dificuldade de esvaziamento da mesma, perda involuntária de urina , ocasionando a chamada síndrome uretral, caracterizada por episódios recorrentes de aumento da freqüência e ardência urinária, além da sensação de micção iminente;

Alterações do humor, sintomas emocionais, tais como ansiedade, depressão, fadiga, irritabilidade, perda de memória e insônia devido às alterações hormonais que afetam a química cerebral;

Modificação da sexualidade com diminuição do desejo sexual (libido), que pode estar alterado por vários motivos, entre eles, a menor lubrificação vaginal;

Aumento do risco cardiovascular pela diminuição dos níveis de estrogênio;

O estrogênio protege o coração e os vasos sanguíneos contra problemas, evitando a formação de trombos que obstruem os vasos e mantendo os níveis do bom colesterol;

Osteoporose, que é a diminuição da quantidade de massa óssea, tornando os ossos frágeis e mais propensos às fraturas, principalmente no nível da coluna vertebral, fêmur, quadril e punho. Embora algumas mulheres possam não apresentar nenhum sintoma, alguma manifestação silenciosa da deficiência hormonal pode estar ocorrendo, como a perda de massa óssea que pode levar a osteoporose. É nos cinco primeiros anos após a menopausa que ocorre uma perda óssea mais rápida.
 

Menopausa Ovários

 

Principais causas dos Sintomas da Menopausa

O estrogênio é o hormônio básico da mulher. Sua produção começa na adolescência, quando é responsável pelo aparecimento dos sinais sexuais secundários na mulher, e vai até a menopausa.

A falta de estrogênio causa as ondas de calor ou fogachos em aproximadamente 75 a 80 % das mulheres.

O estrogênio também é responsável pela textura da pele feminina e pela distribuição de gordura. Sua falta causará a diminuição do brilho da pele e uma distribuição de gordura mais masculina, ou seja, na barriga.

É a falta de estrogênio que causa a secura vaginal que acaba por afetar o desejo sexual pois transforma as relações em algo desagradável e doloroso.

O estrogênio também é relacionado ao equilíbrio entre as gorduras no sangue, colesterol e HDL - colesterol. Estudos mostram que as mulheres na menopausa têm uma chance muito maior de sofrerem ataques cardíacos ou doenças cardiovasculares.

Uma outra alteração importante na saúde da mulher pela falta de estrogênio é a irritabilidade e a depressão. O estrogênio está associado a sentimentos de alta estima e a falta dele pode causar depressão em graus variados.

Por último o estrogênio é responsável pela fixação do cálcio nos ossos. Após a menopausa grande parte das mulheres passará a perder o cálcio dos ossos, doença chamada osteoporose, responsável por fraturas e por grande perda na qualidade de vida da mulher.

Estudos recentes têm associado a falta de estrogênio ao Mal de Alzheimer, perda total da memória.

 

Porque tratar a Menopausa

Se a menopausa é um fenômeno natural na vida da mulher, qual a razão dos médicos proporem um tratamento?

No início da menopausa a mulher poderá sentir sintomas muito fortes o que interferem na sua maneira de viver.

Nos últimos 30 anos, as conquistas da ciência em geral e da medicina em particular aumentaram em muito a idade média dos homens e principalmente das mulheres.

Considerando a idade média da menopausa, por volta dos 45 anos, veremos que as mulheres passarão um terço de suas vidas sem hormônios.

Ocorre que a perda de cálcio, causa da osteoporose, aparece nos primeiros cinco anos da menopausa. Osteoporose é uma doença grave relacionada à fraturas de vértebras (coluna) e de bacia. O tratamento com hormônios ou com substitutos hormonais reduz a ocorrência de fraturas de bacia em 25% e de coluna em 50% e deve ser iniciado logo no início da menopausa.

O objetivo do tratamento da menopausa é melhorar a qualidade da vida da mulher.

 

Tratamentos para a Menopausa

Gérmen de Soja

O gérmen de soja é a parte mais rica da soja, pois é onde se concentra 10 vezes mais isoflavonas que o restante do grão.

A isoflavona da soja é um composto da soja, também conhecido como fitoestrogênio. Sua estrutura é semelhante ao hormônio feminino (estrógeno).

No processo da menopausa, o organismo da mulher deixa de produzir gradativamente esse hormônio feminino (estrógeno).

O gérmen da soja vem se constituindo como uma alternativa cada vez mais utilizada na terapia de reposição hormonal natural.

Linhaça

Um outro produto natural que pode auxiliar também o tratamento dos sintomas da menopausa é o óleo de linhaça.

 

A linhaça é a maior fonte alimentar de lignanas, um fitoesteróide que "imita" a ação do estrógeno. A lignana é muito importante no período da menopausa, quando as taxas desse hormônio são baixas, sendo ela um importante agente natural na reposição desse hormônio. A lignana "engana" os receptores de estrógeno e se acopla a eles. Tratando-se de um óleo vegetal natural, os fitoesteróides têm uma ação fraca em relação ao estrógeno, não tendo ação negativa sobre o tecido mamário. Sendo assim, a lignana é uma substância importante na prevenção do câncer de mama, por neutralizar a ação do estrógeno sobre esse tecido.

 

As lignanas da linhaça desempenham importante papel no equilíbrio hormonal.

 

Estudos com mulheres mostram o papel da linhaça na manutenção da saúde óssea e também seu efeito na redução de risco de câncer hormônio dependente. Auxiliam no combate a sintomas da TPM e da menopausa, bem como ajudam a prevenir o surgimento de câncer de mama, principalmente se combinadas com as isoflavonas da soja.

 

Tem também efeito protetor contra câncer de próstata.

 

Pesquisas mostram que a linhaça é o principal alimento fonte de lignanas.

 

 

Tratamento ou Terapia de Reposição Hormonal

Como o que falta na menopausa é o estrógeno, outro tratamento pode ser a base de reposição hormonal.

Trabalhos científicos mostram que há vantagens para a qualidade de vida da mulher que é tratada precocemente em relação à menopausa se a mesma tiver sintomas. Porém, somos mais a favor da terapia natural realizada com o gérmen de soja, a qual além de ser natural, não possui nenhuma contra-indicação e resolve na maioria dos casos sem nenhum efeito colateral, inclusive trazendo outros benefícios para a saúde das pacientes.

Em mulheres que ainda tem o útero é importante associar a progesterona para proteger contra o risco de câncer do endométrio.

Caso se opte pelo tratamento ou terapia de reposição hormonal, o mais importante é que o tratamento seja individualizado. Médico e paciente devem discutir todas as vantagens e riscos dos diversos tipos de terapia existentes e chegar a um consenso sobre o que fazer.

No tratamento ou terapia hormonal, Existem diversas maneira de se administrar o estrógeno: via oral, via transdérmica, via vaginal, e injetável.

No Brasil as duas vias mais comuns são a transdérmica e a oral, tendo sido lançado recentemente o implante subcutâneo.

Transdérmica é uma espécie de adesivo que é colocado na pele uma ou duas vezes por semana e que pode conter somente estrógeno ou estrógeno e progesterona.

Ainda transdérmicos existem cremes e aerossóis de hormônios os quais tem o inconveniente de terem de ser usados diariamente, porém, tem a vantagem de não descolar como acontece com alguns adesivos em algumas mulheres.

Pela via oral podem ser administrados estrógenos e progesterona.

Os implantes são colocados embaixo da pele e duram 6 meses.

Existem diversas maneiras de se usar os hormônios.

No entanto algumas advertências tem de ser feitas:

  1. Nunca inicie qualquer tratamento hormonal sem supervisão médica.

  2. Tratamento hormonal necessita supervisão médica periódica, mesmo que esteja dando certo. Não deixe de visitar seu médico nos intervalos recomendados. Somente o médico pode avaliar a dose exata do medicamento e acompanhar seu excesso ou eventual falta.

  3. Após iniciada, não abandone a terapia hormonal. As vantagens de evitar a osteoporose só se obtém através do uso continuado.

  4. A parada do tratamento causa alterações irreversíveis.

  5. Não se preocupe com efeitos colaterais, discuta-os com seu médico, sempre haverá uma alternativa.

Mais informações sobre a Menopausa (Períodos)

                  Menopausa

O que acontece exatamente e quando?

Perimenopausa (Climatério) – Diminuição gradual dos níveis hormonais

Esta fase ocorre em geral a partir do fim dos 30 anos até o meio dos 40 anos. É um período de transição em que a mulher ainda está ovulando, mas começa a sentir alguns sintomas da menopausa. A perimenopausa geralmente dura 5 anos, mas pode durar somente 2 anos ou pode chegar a até mesmo 8 anos para algumas mulheres. Nesta fase começa a diminuição gradual da produção hormonal dos ovários. Nos últimos dois anos a mulher começa a sentir mais intensamente os sintomas da menopausa, pois a diminuição do estrogênio acelera.

Menopausa – Ciclos menstruais param

Esta fase ocorre em geral no fim dos 40 anos até o meio dos 50 anos. Os ovários interrompem a liberação dos óvulos e produzem maior quantidade de estrogênio. A mulher passa a não ter mais ciclo menstrual. Nesta fase, as mulheres podem sentir os sintomas da menopausa com mais intensidade. Quando a mulher passa mais de um ano sem um ciclo menstrual considera-se que ela entrou no período pós-menopausa.

Pós-menopausa – Aumento dos riscos de saúde

Esta fase ocorre em geral depois dos 50 anos. A partir desta idade, depois da menopausa, os sintomas diminuem para a maioria das mulheres. No entanto, nesse período muitas mulheres começam a sofrer conseqüências na saúde, em virtude da interrupção do ciclo menstrual e da produção hormonal (diminuição dos níveis de estrogênio e outros hormônios), como osteoporose e doenças cardíacas.

Climatério X Menopausa

Muitas pessoas confundem climatério com menopausa, pois desconhecem a definição exata dos dois termos. São conceitos diferentes. O climatério é uma importante fase de transição na vida da mulher, enquanto a menopausa é um acontecimento marcante dessa fase.

Menopausa - é o termo utilizado para caracterizar a última menstruação natural da mulher, que ocorre por volta dos 50 anos. O diagnóstico é dado após um ano sem menstruação. Podemos mascarar um quadro de menopausa quando instituímos tratamento de terapia hormonal à mulher: ela continua apresentando sangramento  vaginal cíclico, que é artificial, ou seja, induzido pela TRH, simulando menstruações normais, porém sem ovulação.

Climatério - compreende um período variável, cerca de 2 a 5 anos antes da menopausa e mais um ano após a última menstruação. Geralmente se inicia ao redor dos 40 anos, podendo durar até os 65 anos. 

É o período de transição na vida da mulher entre a sua fase reprodutiva e a perda da capacidade de reprodução, ou seja, os ovários já não conseguem liberar óvulos para a concepção, assim como principiam a queda da sua produção hormonal (diminuem a produção dos hormônios femininos, estrogênio e progesterona).

Climatério e Menopausa

 

 

Livre-se das veias varicosas

Use VINOVIT - produto natural

a base de semente de uva.

www.vinovit.com.br

Emagreça com Linolev

Queime gordura localizada e

tenha sua cintura definida com

LINOLEV - Óleo de cártamo.

www.linolev.com.br

Menopausa? Use SOFLAX

Conheça o produto natural que

ameniza os efeitos da menopausa.

www.suplementostore.com.br

   

Google

 

Menopausa e o cuidado com os cabelos

Menopausa e o cuidado com os cabelos

 

No corpo humano, cada uma das fases da vida é marcada por mudanças fisiológicas e psicológicas. E a menopausa talvez seja a fase que proporciona alterações mais radicais no corpo e na mente feminina. Essas mudanças, que começam normalmente entre os 45 e 55 anos, estão ligadas principalmente ao metabolismo hormonal. É o período que os ovários param de funcionar, deixando de fabricar os hormônios como o estrogênio e a progesterona.

 

Quando a mulher para de produzir esses hormônios, o corpo sofre os efeitos. E uma das regiões do corpo da mulher que deixa clara as alterações do fim da menstruação são os cabelos. Eles ficam mais finos, mais fracos e até mesmo a queda capilar pode ocorrer nessa fase. Essas alterações ocorrem em vista da redução da produção dos hormônios femininos, mas também por uma discreta redução na absorção de nutrientes pelo aparelho digestivo.

 

Para não perder o brilho e a saúde dos cabelos, o consumo do gérmen de soja e o uso de cosméticos, hidratantes, máscaras de tratamento nutritivo e antienvelhecimento é uma boa pedida para quem quer se cuidar e se manter linda em todas as idades. Mas não vá gastar uma pequena fortuna em produtos da moda. cuide para não errar o alvo e esvaziar os bolsos com produtos que não resolvem. Caso sinta necessidade, consulte um especialista.

 

 

Verdades e Mitos sobre a TRH (Terapia de Reposição Hormonal)

Os benefícios:

Restaurar os níveis hormonais da mulher oferece a possibilidade de que ela não tenha um comprometimento em sua qualidade de vida. O tratamento afasta os inúmeros sintomas desagradáveis como ondas de calor, suores noturnos, náuseas, mal-estar, dores de cabeça, palpitações, falta de sono, cansaço, irritabilidade, depressão, nervosismo, variação de peso e falta de desejo sexual. Segundo os médicos, a reposição hormonal também é uma grande aliada no combate à osteoporose, que atinge a maioria das mulheres com mais de 60 anos.

Os perigos:

Para alguns ginecologistas, a reposição não é indicada para mulheres fumantes, com tendência a câncer de mama, hipertensão grave ou que tenham tido quadros de enfarte, trombose, embolia ou acidentes vasculares cerebrais.

Fito-Hormônios:

Apesar de ainda serem criticados por alguns médicos, a experiência clínica mostra que os sintomas são eliminados. Alguns ginecologistas explicam que, com os fito-hormônios, os receptores do organismo feminino entendem estar recebendo hormônios de verdade e os sintomas desaparecem. Os fito-hormônios vêm de princípios ativos de plantas como soja, yam mexicano, res clover, black cohosh, dons quai, agnus castus. Sem dúvida, o fito-hormônio que tem se mostrado mais eficaz em testes clínicos é o gérmen de soja.

Depressão Grave:

Psiquiatras realizaram uma pesquisa e constataram que 5% das mulheres que menstruam têm problemas psiquiátricos, como crises depressivas graves, atribuídos à TPM ou à menopausa. A menopausa e a TPM causam, segundo ele, depressões brandas, mas os casos graves são de ordem psiquiátrica e não ginecológica. As mulheres da pesquisa, porém, preferiam acreditar que seus problemas se devem à TPM ou à menopausa.

 

Principais Benefícios do uso do Gérmen de Soja:

- Previne e auxilia no tratamento de doenças cardiovasculares.

- Alivia os sintomas da menopausa.

- As fibras contidas no gérmen de soja normalizam a função intestinal.

- Previne e auxilia o tratamento da Doença de Alzheimer.

- Ação antimutagênica e antiproliferativa que agem na prevenção e auxilia no tratamento de diversos tipos de câncer, como: câncer de mama, próstata, bexiga, cólon e endométrio.

- Ação anti-hipertensiva.

- As isoflavonas aliviam os sintomas da menopausa como: ondas de calor, distúrbios emocionais, perda de elasticidade da pele, irritabilidade e insônia.

- Previne distúrbios osteometabólicos que dão origem à osteoporose oriunda da idade ou decorrente da redução de estrógeno na entrada da menopausa, inibindo a perda de cálcio.

 

CONSELHOS DE ESPECIALISTAS

As mulheres devem manter uma atividade física moderada para combater a osteoporose e prevenir doenças cardíacas. Esses conselhos de especialistas se estendem à alimentação, que deve ser rica em cálcio e fibras, mas pobre em açúcares e gorduras, que aumentam o colesterol no sangue.

 

Com relação aos hormônios, existem divergências entre os médicos. A reposição dos hormônios é defendida por especialistas que acreditam que esta terapia previne a osteoporose, doenças cardíacas, arteriosclerose e artrite. Mas o risco é o aparecimento do câncer do endométrio (camada interna do útero) e da mama, por excesso.

Idade da Menopausa

 

Importante lembrar que as mulheres podem utilizar um método natural de tratamento dos sintomas da Menopausa. As cápsulas de gérmen de soja, desde que de boa procedência, trazem comprovadamente resultados muito parecidos com os obtidos pelos tratamentos de reposição hormonal, mas sem risco de efeitos colaterais.

 


 

 

MENOPAUSA SINTOMAS     MENOPAUSA E GRAVIDEZ     MENOPAUSA TRATAMENTO     MENOPAUSA CLIMATÉRIO MENOPAUSA     IDADE DA MENOPAUSA

Voltar a página inicial do Saúde com Inteligência.

ACIDENTE VASCULAR CEREBRAL ACNE AFTA ALCOOLISMO ALOPECIA ALZHEIMER ARTERIOSCLEROSE ARTRITE ARTROSE BACTÉRIAS BELEZA BELEZA NATURAL BRONQUITE AGUDA BRONQUITE CRÔNICA BICO DE PAPAGAIO BROTOEJA BURSITE CABELOS CÁLCULO BILIAR CÁLCULO RENAL CALVÍCIE CÂNCER CELULITE COLESTEROL CÓLICAS MENSTRUAIS CÓLICA RENAL CORRIMENTO VAGINAL DIABETES DISFUNÇÃO ERÉTIL DENGUE DEPRESSÃO DOR DE GARGANTA EMAGRECIMENTO ENVELHECIMENTO PRECOCE ESPORÃO ESTRESSE ESCLEROSE MÚLTIPLA EXAME DE SANGUE EXAME DE URINA FARINGITE FEBRE FIBROMIALGIA FLATULÊNCIA FALTA DE MEMÓRIA GASTRITE GENGIVITE GLICOSE NO SANGUE GOTA GRIPE GUIA DO BEBE HIPERTENSÃO ARTERIAL HALITOSE HEMOGRAMA HEMORRÓIDAS HEPATITE HERPES HIPNOSE HIPOGLICEMIA HOMEOPATIA IMPOTÊNCIA INFECÇÃO INSÔNIA LARINGITE L-CARNITINA LEUCEMIA LEUCORRÉIA LÚPUS MAGNÉSIO MAL DE PARKINSON MASSAGEM MEMÓRIA MENOPAUSA MINERAIS NÁUSEA NEFRITE NEVRALGIA OSTEOPOROSE OSTEOARTROSE OBESIDADE OLIGOELEMENTOS PANCREATITE PÉ DIABÉTICO PEDRA NOS RINS PEDRA NA VESÍCULA PRESSÃO ALTA PREVENÇÃO DE DOENÇAS PRÍMULA QUEDA DE CABELO QUEIMADURAS QUEIXAS NA GRAVIDEZ RADICAIS LIVRES REJUVENESCIMENTO REUMATISMO SARAMPO SEMENTE DE CHIA SINUSITE SÍFILIS SOLUÇO SÓDIO E POTÁSSIO TENSÃO PRÉ-MENSTRUAL (TPM) TENDINITE TRIGLICERÍDEOS-TRIGLICÉRIDES TROMBOSE TUNEL DO CARPO ÚLCERA UNHA ENCRAVADA URETRITE URTICÁRIA VARICOCELE VARIZES VERMINOSE VERTIGEM VÍRUS ZONZEIRA ZUMBIDO NOS OUVIDOS

calculo renal  calculos renais  Pedra nos Rins  NQI funciona para tratar cálculo renal Cálculos Renal Cogumelo do Sol  NQI Pedra na Vesícula Artrite e Artrose 

nqi   suplementos   acne e espinhas www.jornaldasaude.com.br  www.cloretodemagnesiopa.com.br    www.listahotel.net  www.nqi.com.br  www.medicinaetratamentonatural.com.br  

Esta página e todas as informações contidas neste site são de propriedade SAÚDE COM INTELIGÊNCIA.

Referente a responsabilidade pelo uso das informações aqui contidas leia nosso DISCLAIMER.

Nenhuma parte deste website pode ser reproduzida sem a expressa autorização.
SAÚDE COM INTELIGÊNCIA - © 2007 -  2008 - 2009 - 2010 - 2011 - 2012 - Todos os direitos reservados.