Mal de Alzheimer: sintomas, causas, tratamento e cura

A doença de Alzheimer é a mais freqüente forma de demência entre idosos. É caracterizada por um progressivo e irreversível declínio em certas funções intelectuais: memória, orientação no tempo e no espaço, pensamento abstrato, aprendizado, incapacidade de realizar cálculos simples, distúrbios da linguagem, da comunicação e da capacidade de realizar as tarefas cotidianas. Outros sintomas incluem mudança da personalidade e da capacidade de julgamento. Atualmente pode ser diagnosticada, para fins de pesquisa, antes mesmo que o paciente apresente demência com incapacidade de realizar com independência as atividades básicas e instrumentais do dia a dia. Apesar de ainda não existir cura, é muito importante conhecer as causas e os sintomas para buscar opções de tratamento.

 

Saúde com Inteligência - Saude On Line


   Digite na caixa abaixo o que você procura:

Pesquise no Google

 
 
 


 

 

SAÚDE COM INTELIGÊNCIA - O SEU GUIA DE SAÚDE ON-LINE
 

HOME DOENÇAS ASSUNTOS ARTIGOS AVISO LEGAL PUBLICIDADE CONTATO

 

TUDO SOBRE O MAL DE ALZHEIMER

A Doença de Alzheimer é uma doença do cérebro, degenerativa, isto é, que produz atrofia, progressiva, com início mais freqüente após os 65 anos, que produz a perda das habilidades de pensar, raciocinar, memorizar, que afeta as áreas da linguagem e produz alterações no comportamento. As causas da Doença de Alzheimer ainda não estão conhecidas, mas sabe-se que existem relações com certas mudanças nas terminações nervosas e nas células cerebrais que interferem nas funções cognitivas. Não existe cura conhecida para a Doença de Alzheimer, por isso o tratamento destina-se a controlar os sintomas e proteger a pessoa doente dos efeitos produzidos pela deterioração trazida pela sua condição. Antipsicóticos podem ser recomendados para controlar comportamentos agressivos ou deprimidos, garantir a sua segurança e a dos que a rodeiam. A doença de Alzheimer não afeta apenas o paciente, mas também as pessoas que lhe são próximas.

O que é o Mal de Alzheimer?

 

A doença de Alzheimer ou mal de Alzheimer é uma doença degenerativa do cérebro caracterizada por uma perda das faculdades cognitivas superiores, manifestando-se inicialmente por alterações da memória episódica. Estes défices amnésicos agravam-se com a progressão da doença, e são posteriormente acompanhados por défices visuo-espaciais e de linguagem. O início da doença pode muitas vezes dar-se com simples alterações de personalidade, com ideação paranóide.

 

Os sintomas aparecem lentamente, com perda de memória, desorientação, depressão e deterioração de funções corporais, do comportamento. Os pacientes tornam-se confusos e, por vezes, agressivos. Terminam por não conhecer os próprios familiares e até a si mesmos quando colocados na frente do espelho.

Os doentes de Alzheimer tornam-se incapazes de realizar a mais pequena tarefa, ficam incontinentes e acabam, quase sempre, acamados.

 

É uma doença muito relacionada com a idade, afetando as pessoas com mais de 50 anos. A estimativa de vida para os pacientes situa-se entre os 2 e os 15 anos.

Alzheimer: Mal de Alzheimer

Na doença de Alzheimer as células de certas áreas do cérebro começam a morrer, formando cicatrizes em forma de estruturas microscópicas chamadas Placas Senis. Na medida em que as células morrem e são formadas as Placas Senis, o cérebro não consegue mais funcionar como deveria.

Saiba mais sobre o mal Alzheimer ou a doença de Alzheimer

 

A doença sofre um processo evolutivo no qual é possível distinguir vários estágios. Dependendo do estágio, o doente pode apresentar um desejo sexual doentio, expondo-se ao ridículo, podendo usar de gestos obscenos em público, ou de expor sua nudez. À medida que a doença evolui, os portadores tornam-se cada vez mais dependentes de terceiros, começam a apresentar dificuldades de locomoção, a comunicação se inviabiliza e passam a necessitar de cuidados e supervisão integrais, até mesmo para as atividades elementares do cotidiano, como alimentação e higiene pessoal. A principal vítima da doença acaba sendo a família. Dúvidas e incertezas com o futuro, a grande responsabilidade, a inversão de papéis, em que os filhos passam a se encarregar dos cuidados dos pais, são as principais preocupações dos familiares. Os familiares acabam tendo uma carga física e emocional muito grande, fazendo com que, muitas vezes, sejam eles que adoeçam.

 

Desde a época das primeiras descrições dos casos de doença de Alzheimer, sabe-se que as primeiras alterações microscópicas associadas à doença são os depósitos chamados amilóides, juntamente com anormalidades denominadas emaranhados neurofibrilares, que se desenvolvem dentro das células cerebrais. Determinar a natureza desses achados anormais trouxe opiniões importantes sobre as possíveis causas da doença de Alzheimer.

Esclareça suas dúvidas sobre mal de alzheimer.

A proteína beta amilóide, que é a proteína específica de amilóide na doença de Alzheimer, deriva de uma proteína maior, denominada proteína precursora do amilóide (PPA), normalmente produzida por uma série de tipos diferentes de células orgânicas por vias metabólicas ainda não totalmente entendidas. Muitos pesquisadores concluíram que o depósito de proteína amilóide no cérebro seja o evento-chave que leva ao desenvolvimento da doença de Alzheimer.

Uma observação importante que sustenta a idéia de que o metabolismo da PPA é a chave para o desenvolvimento da Doença de Alzheimer é a ocorrência dessa doença na maioria de indivíduos com Síndrome de Down sobreviventes além da idade de 50 anos.

Emaranhado neurofibrilar é uma expressão que descreve o aparecimento dentro dos neurônios de uma proteína citoesquelética densa, não sendo específicos da doença de Alzheimer e não estão uniformemente presentes em pacientes idosos com Doença de Alzheimer. O que chama a atenção é um componente particular dos emaranhados: a proteína tau, que é hiperfosforilada num paciente com Alzheimer o que difere da proteína tau de um cérebro normal. Alguns neurocientistas especulam que a fosforilação da tau e de outras proteínas pode ser um processo importante que traz disfunção celular na doença de Alzheimer.

 

Sabe-se que existem relações entre a doença e certas mudanças nas terminações nervosas e nas células cerebrais que interferem nas funções cognitivas. Alguns estudos apontam como fatores importantes para o desenvolvimento da doença:

- Aspectos neuroquímicos: diminuição de substâncias através das quais se transmite o impulso nervoso entre os neurônios, tais como a acetilcolina e noradrenalina;

- Aspectos ambientais: exposição/intoxicação por alumínio e manganês;

- Aspectos infecciosos: como infecções cerebrais e da medula espinhal;

- Pré-disposição genética em algumas famílias, não necessariamente hereditária.

 

Encontre aqui, diversas informações sobre a doença de Alzheimer. Conheça mais sobre os sintomas, diagnóstico e tratamento do mal de alzheimer.

 

Uso do Gérmen de Soja na prevenção e no tratamento do Mal de Alzheimer

O gérmen de soja é rico em Isoflavonas, Fibras, Proteínas e Saponinas, além de outros nutrientes importantes para a prevenção e manutenção da saúde.

Evidências científicas vêm demonstrando que as isoflavonas podem trazer benefícios no controle de doenças como câncer, diabetes, osteoporose, doenças cardiovasculares, no tratamento da doença de Alzheimer, nos sintomas da tensão pré-menstrual e da menopausa.

O tratamento da doença de Alzheimer (DA) com o uso de hormônio de esteróides, como o estrógeno, tem sido associado à diminuição das incidências desta doença. Entretanto, o mecanismo de ação pelo qual o uso de estrógeno previne e trata a doença de Alzheimer ainda é pouco conhecido. O efeito antioxidante, interações imunológicas, aumento dos níveis de apoliproteína e alterações do processo precursor de proteína amilóide têm sido atribuídos a possível influência de estrógeno na cascata de doença de Alzheimer. Existem ainda evidências que mostram que o estrógeno funciona como modulador de fator de crescimento neurônio cerebral, atribuindo o potencial do estrógeno para o tratamento da doença de Alzheimer.

A perda de neurônios colinérgicos basais que ocorre durante a progressão da doença de Alzheimer é um fenômeno bem documentado. Os grupos de células colinérgicas inervam diversas regiões do cérebro, como o córtex cerebral, sistema límbico associado com a região de hipocampo e corpo amigdalóide. As regiões pré-citadas são importantes para o funcionamento normal do aprendizado, memória e atenção. Acredita-se que a degeneração dos neurônios colinérgicos seja a causa da progressão das degenerações das funções cognitivas da doença de Alzheimer. Todos os tratamentos que aumentam a sobrevida dos neurônios podem potencialmente retardar a progressão da doença de Alzheimer. A substância que retarda a degeneração destes neurônios colinérgicos em modelos animais foi identificada e é denominada de fator de Crescimento Neural (FCN).

O estrógeno influencia a expressão de certos genes para a produção de FCN. Se os estrógenos podem atuar neste processo acredita-se que algumas substâncias, como fitoestrógenos, também possam atuar nos pacientes com a doença de Alzheimer, retardando e tratando-a.

 

As isoflavonas são membros de uma família polifenólica de uma larga classe de compostos sintetizados por plantas e têm estruturas químicas similares aos estrógenos fisiológicos e sintéticos. O gérmen de soja contém duas isoflavonas em maior quantidade, a genisteína e a daidzeína e, em menor quantidade, a gliciteína.

Existem inclusive estudos da Universidade Federal de São Paulo, Escola Paulista de Medicina (UNIFESP-EPM) sobre os efeitos do gérmen de soja e das isoflavonas em pacientes com a doença de Alzheimer.

 

  Digite na caixa abaixo o que você procura:

Pesquise no Google

 

Voltar a página inicial do Saúde com Inteligência.

 

ACIDENTE VASCULAR CEREBRAL ACNE AFTA ALCOOLISMO ALOPECIA ALZHEIMER ARTERIOSCLEROSE ARTRITE ARTROSE BACTÉRIAS BELEZA BELEZA NATURAL BRONQUITE AGUDA BRONQUITE CRÔNICA BICO DE PAPAGAIO BROTOEJA BURSITE CABELOS CÁLCULO BILIAR CÁLCULO RENAL CALVÍCIE CÂNCER CELULITE COLESTEROL CÓLICAS MENSTRUAIS CÓLICA RENAL CORRIMENTO VAGINAL DIABETES DISFUNÇÃO ERÉTIL DENGUE DEPRESSÃO DOR DE GARGANTA EMAGRECIMENTO ENVELHECIMENTO PRECOCE ESPORÃO ESTRESSE ESCLEROSE MÚLTIPLA EXAME DE SANGUE EXAME DE URINA FARINGITE FEBRE FIBROMIALGIA FLATULÊNCIA FALTA DE MEMÓRIA GASTRITE GENGIVITE GLICOSE NO SANGUE GOTA GRIPE GUIA DO BEBE HIPERTENSÃO ARTERIAL HALITOSE HEMOGRAMA HEMORRÓIDAS HEPATITE HERPES HIPNOSE HIPOGLICEMIA HOMEOPATIA IMPOTÊNCIA INFECÇÃO INSÔNIA LARINGITE L-CARNITINA LEUCEMIA LEUCORRÉIA LÚPUS MAGNÉSIO MAL DE PARKINSON MASSAGEM MEMÓRIA MENOPAUSA MINERAIS NÁUSEA NEFRITE NEVRALGIA OSTEOPOROSE OSTEOARTROSE OBESIDADE OLIGOELEMENTOS PANCREATITE PÉ DIABÉTICO PEDRA NOS RINS PEDRA NA VESÍCULA PRESSÃO ALTA PREVENÇÃO DE DOENÇAS PRÍMULA QUEDA DE CABELO QUEIMADURAS QUEIXAS NA GRAVIDEZ RADICAIS LIVRES REJUVENESCIMENTO REUMATISMO SARAMPO SEMENTE DE CHIA SINUSITE SÍFILIS SOLUÇO SÓDIO E POTÁSSIO TENSÃO PRÉ-MENSTRUAL (TPM) TENDINITE TRIGLICERÍDEOS-TRIGLICÉRIDES TROMBOSE TUNEL DO CARPO ÚLCERA UNHA ENCRAVADA URETRITE URTICÁRIA VARICOCELE VARIZES VERMINOSE VERTIGEM VÍRUS ZONZEIRA ZUMBIDO NOS OUVIDOS

calculo renal  calculos renais  Pedra nos Rins  NQI funciona para tratar cálculo renal Cálculos Renal Cogumelo do Sol  NQI Pedra na Vesícula Artrite e Artrose 

nqi   suplementos   acne e espinhas www.jornaldasaude.com.br  www.cloretodemagnesiopa.com.br    www.listahotel.net  www.nqi.com.br  www.medicinaetratamentonatural.com.br  

Esta página e todas as informações contidas neste site são de propriedade SAÚDE COM INTELIGÊNCIA.

Referente a responsabilidade pelo uso das informações aqui contidas leia nosso DISCLAIMER.

Nenhuma parte deste website pode ser reproduzida sem a expressa autorização.
SAÚDE COM INTELIGÊNCIA - © 2007 -  2008 - 2009 - 2010 - 2011 - 2012 - Todos os direitos reservados.

Apesar de não ter cura, pode-se ter melhora no quadro, portanto, se você ou alguém da sua família tem a doença, procure o tratamento para Mal de Alzheimer.